Sobre o vício numa garota que não bebia café, mas ouvia Cazuza.


Você pode ler o texto, ouvindo

“Tenho vários problemas contigo, Julia. O maior deles eu diria que é precisar de você, e você de si mesma. Explana pra geral, Julia, diz que eu tô completamente viciado no teu perfume doce de menininha inocente. E você de inocente não tem nada, menininha até que você é, mas só quando perde sua pose ou baixa tua guarda. Ou seja, quase nunca. Julia, tu tem essa mania insuportável em se esconder atrás de mil fases e mil disfarces. Você exala um ar de mulher madura, um ar de perigo e de quem não liga pra nada. Você tem lá seus mil segredos, Julia, e me esconde junto com eles. Acho que meu maior problema, não são seus problemas que tu carrega contigo, meu maior problema é você. Meu maior problema é você e é ainda não saber me livrar do teu vício. Comecei a ouvir Los Hermanos, e tô praticando ainda falar de… Ah mano, nessas coisas que eles falam nas músicas. Mas eu nunca soube falar nem ao menos de mim, quanto mais das paradas que eu sinto por ti. Eu sou um refrigereco barato, Julia, tu é a bebida mais cobiçada e cara da loja. Eu sou silêncio, você é grito. Eu sou impulsivo, você é o lado bom. Eu sou o erro, Julia, é você é o ponto de partida. Você é o acerto mais errado que eu já conheci. Te prometi, Julia, eu disse que você seria só uma quedinha de uma semana que eu nem lembraria o nome na semana que vem. Mas, putz, você se tornou um tombo. Tu se tornou um penhasco, e eu só não tropecei, como eu também cai. Eu esqueço do meu nome, Julia, mas o teu eu não esqueço. Decorei até datas e números quando se tratava de você. O teu número da sorte é impar, e o meu sempre foi par. Sempre tive nervoso de 3 e de 7. Até que tu me diz que o numero que te persegue é 3, e que teu aniversário é 7. Dá pra sacar? Deixa eu tentar explicar melhor: eu trocarei as bandas, os números pares, os dias da semana e as palavras por você. E você me trocaria até por um cigarro. E, bom, vale ressaltar: você não fuma.

Sobre o vício numa garota que não bebia café, mas ouvia Cazuza.

Encontrei esse texto lindo no tumblr (like always), mandei uma ask perguntando se podia postar no blog, mas ninguém respondeu. Como eu amei o texto, tá aqui o tumblr, com os devidos créditos.

isadora

2 pensamentos sobre “Sobre o vício numa garota que não bebia café, mas ouvia Cazuza.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s